terça-feira, 12 de junho de 2007

A GRANDE ARTE (Idem/High Art,1991,BRA/EUA)


O cinema brasileiro no começo dos anos 90 era uma bagunça total, com a extinção da Lei Sarney e da Embrafilme e o fim da reserva de mercado para o filme brasileiro fizeram a produção cair quase a zero. A tentativa de privatização da produção esbarrava na inexistência de público num quadro onde era, e ainda é, forte a concorrência do filme estrangeiro, da tevê e do vídeo. Uma das saídas foi à internacionalização, e esse filme foi um dos pontapés iniciais, com uma co-produção americana, o próprio Rubens Fosenca escrevendo o roteiro baseado no seu livro homônimo e um jovem cineasta vindo da tv e que depois iria fazer sucesso até nos EUA, Walter Salles.

A certa altura do filme um personagem faz uma citação do poeta grego Arquíloco – “Eu tenho uma grande arte. Eu firo duramente aquele que me fere”.E como tem gente espetada nesse filme, hehehe.

Bem vamos ao filme: Logo no inicio vermos uma mulher sendo assassinada e o assassino marcando o seu rosto uma marca, para ser exato a letra “P”. A câmera da um longo passeio desde o momento do assassinato até sair pela janela do quarto de hotel.

Damos um pulo pra mostrar o fotografo americano, que no livro era um advogado, Peter Mandrake (o ator americano Peter Coyote) preparando um ensaio fotográfico pelo submundo da cidade do Rio de Janeiro, cheio de indivíduos estranhos e perigosos. Ele se torna amigo de uma garota de programa chamada Gisele (Giuliam Gam).

Entre as andadas de Mandrake no centro da cidade ele flagra um assalto a um homem misterioso que imediatamente corre atrás do meliante que o roubou, Mandrake também corre atrás a fim de tirar umas fotos do ocorrido, dobrando uma esquina Mandrake dá de cara com o homem lutando com o ladrão na base da faca. Logo o sujeito mata o ladrão com um golpe de faca no pescoço, nesse momento um comparsa do ladrão parte para matar o homem, Mandrake da um grito de alerta e ajuda o homem a se livrar do ataque e em seguida ele mata o opositor. Depois disso o homem pega a mala e sai pelas ruas do centro da cidade.

Dias depois Gisela faz uma visita a Mandrake e diz que está sendo pressionada por um cliente na qual roubou um disquete e assustada pede ajuda ao fotógrafo.Logo em seguida, Gisela é assassinada em seu quarto. Por um homem que deixa em seu rosto a letra “P”.

Então Mandrake resolve procurar pista do que aconteceu com Gisela, já que a policia faz pouco caso com o assassinato.Ele investiga e encontra uma pista sobre o dono do disquete que poderia ser a causa do assassinato de Gisela, Roberto Mitry (Eduardo Conde, quem assistiu a algum filme dos trapalhões vai lembrar dele) é o principal suspeito e Mandrake vai na casa dele para sondar o que deixa Mitry em pânico.

Nesse momento a namorada de Mandrake, Marie (a gatinha Amanda Pays) chega no Rio e procura Mandrake, os dois saem e na volta para a casa eles são surpreendidos por dois capangas de Mintry, Rafael (Tonico Pereira) e o gigante Camilo Fuentes (Miguel Ángel Fuentes) que quase matam os dois, Mandrake é esfaqueado várias vezes por Rafael, enquanto Marie é violentada.

Logo a policia prende Camilo Fuentes, e pede para que Mandrake o reconheça. Mesmo reconhecendo a policia nada pode fazer nada, pois o gigante está sendo vigiado pela Policia Federal, pois ele faz parte de uma grande operação de drogas e precisa dele solto para dar continuidade à investigação. Mandrake , não consegue nada com a policia e recebe um aviso do detetive encarregado do caso: que deixe o gigante me paz.Então Mandrake, louco de raiva, parte para procurar o homem misterioso que viu e salvou de ser morto tempos atrás ele procura a cidade inteira atrás dele.Não conseguindo êxito.Mais o estranho se aproxima de Mandrake e se apresenta como: Hermes (o ator turco Tchéky Karyo) e Mandrake pede para ele ensinar a arte da faca, logo de primeira Hermes não aceita, mas devido as pressões de Mandrake ele acaba aceitando e o treina na grande arte, que é a lutas com as armas brancas, mesmo que isso custe o seu relacionamento com Marie e sua sanidade.

Quando o treinamento acaba, Mandrake parte para a sua vingança que o leva a uma aventura por inicia uma longa viagem; partindo do Rio, passa por São Paulo, Bauru, Corumbá e cidades fronteiriças da Bolívia, rota do Trem da Morte, ocasionando uma pequena confusão com a Polícia Federal, que pretendia desmantelar uma quadrilha de traficantes a partir de Camilo Fuentes, marginal perseguido por Mandrake.

Ao interferir na operação, Mandrake alerta os bandidos e impede a polícia de executar a apreensão da droga. Nessa missão, perde a vida Mercedes (Cássia Kiss), uma das melhores agentes federais. Mandrake, ao retornar ao Rio, reencontra Marie, nesse intervalo, Camilo Fuentes muda-se de São Paulo para o Rio com a finalidade de despistar seus antigos chefes, que tencionavam liquidá-lo porque a missão havia fracassado. São desvendados os labirintos de uma organização que tem a capa da legalidade, mas que executa transações ilegais ligadas ao tráfico de drogas e à prostituição.

A organização é comandada por um figurão da sociedade chamado Lima Prado (Raul Cortez).E agora, Mandrake vai até a fundo em sua vingança.

Existem uma grande cultura sobre as “Armas Brancas” que significa: Designação particular e genérica nos idiomas Português e Espanhol para armas na forma de lâminas, englobando todos os tipos. O nome teria nascido do fato de o aço das lâminas refletir a luz e, assim, estas parecerem-se brancas. Onde vocês podem se deliciar com uma página mostrando diferente tipos de facas, facões, bainha e outra coisa relacionada a essa cultura é só visitar esse endereço na web: http://www.knifeco.ppg.br/

Mas vamos lá para uma pequena resenha sobre esse filme que tem muitas qualidades e também alguns defeitos.Vamos lá para os prós e contras do filme:

A fotografia é uma coisa do outro mundo, cortesia de José Roberto Eliezer, que ganhou um premio na São Paulo Association of Art Critics Awards, mostrando um Rio de Janeiro com uma atmosfera noir.

As cenas do treinamento são muito bem coreografadas, a ação é legal e pelo menos temos um personagem na minha opinião que é o máximo, é o Rafael, feito pelo ator brasileiro Tonico Pereira, o cara é muito ruim, hehehe.

As cenas de luta são boas, embora tenham poucas, mesmo o duelo final que é muito bem filmado, mas acaba logo, mas também é pedir de mais, vocês já viram um duelo de facas? Eu já. E a coisa é muito rápida, se você pisca o olho e pronto o cara já ta no chão.Digo é muito rápido para o cinema, onde os duelos são sempre demorados.

Quem também ganhou um premio foi à atriz Giulia Gam, como melhor atriz coadjuvante, bem me pareceu que ela mostrou pouco nesse filme, aliás, todos os personagens femininos aparecem pouco, que devem ser bastante diferente do livro, que eu nunca tive o prazer de ler, em particular a personagem da Cássia Kiss que é muito mal aproveitada.

Além do ator Paulo José que está mais perdido do que cego em tiroteio.Enfim, o filme tem seus erros e acertos, mas em um bom passatempo, que você pode desfrutar numa tarde de sábado.
E a cena das baratas são no mínimo asquerosa.hehehe.

E onde veremos, Peter Coyote fazendo biquinho,hehehe,Raul Cortez canastra que só e a expressiva cara de madeira do Tchéky Karyo e vermos Giulia Gam ainda bonita,hehehe.

2 comentários:

Heraclito disse...

Pô, voce cria um blog e nem avisa??? Mas muito legal cara, vou visitar sempre! Abraço!

Anônimo disse...

hola soy de mexico, saben en donde puedo bajar esta pelicula ya que no la encuentro en ningun lado, agradezco de antemano. gracias