sábado, 15 de setembro de 2007

KEOMA (Keoma,1976,ITA)


Quando eu era adolescente, eu assisti a esse filme e fiquei fascinado pela história e principalmente pela a desesperada música, que leva o titulo do filme, cantada por Sybil & Guy e escrita pela dupla Guido e Maurizio DeAngelis. A minha procura finalmente acabou, depois que recebi do Herax, ou seja, o Heráclito Maia, do Blog da Desforra um cd com vários temas, inclusive a trilha do Filme.

Mas vamos logo ao que interessa, vemos no começo, um cavaleiro, sendo acompanhado pela câmera magistral de Enzo G. Castelari, um mestre do cinema, na minha opinião, onde o acompanha, até uma cidade fantasma com o vento forte escurecendo as imagens, até ser abordado por uma velha mulher, aparentemente uma bruxa, que o avisa a não voltar à cidade onde nasceu, Keoma lembra do começo de sua vida, onde foi sobrevivente de um massacre quando era criança e que foi criado por Shannon, um velho pistoleiro, detalhe Keoma é um índio mestiço. E quando o velho pistoleiro levou-o para casa causa a revolta e o desprezo dos filhos legítimos do velho pistoleiro.

A bruxa grita mais uma vez que ele não vá para a cidade e aí começa, uma das mais triste canções que eu ouvi em toda a minha vida, e que eu estou escutando agora.E a câmera continua acompanhando Keoma até a chegar em um punhado de homens todos armados e carregando uma carroça-prisão, com várias pessoas, inclusive uma mulher grávida, que tenta escapar, para no fim sobrar apenas a ela, e aí Keoma aparece e mata alguns mal-feitores para ajudar uma mulher que nunca tinha vista na vida. Poema puro.

Ele segue para a sua cidade natal após a guerra apenas para descobrir que ela foi tomada por uma praga, e que um homem de nome Caldwell passou a controlá-la como bem entende, usando de violência, para dominar todos na cidade.Lá encontra um velho amigo, George( Woody Strode)que antes era o braço esquerdo de seu pai, hoje um velho bêbado e que sofre preconceitos por parte da população da cidade.

Seus meios-irmãos Butch, Sam e Linny trabalham para o Capitão e Keoma se vê sozinho contra todos eles. Keoma tenta, amenizar tudo para encontrar o seu pai adotivo e saber o que é que ele tem a fazer nesse mundo.

Mas, como sempre, as magoas do passado, voltam a conduzir a vida de Keoma, e para defender a mulher que trouxe de volta, ele tem que lutar contra os seus irmãos.

Agora ele está preso no meio de uma batalha selvagem entre inocentes colonos, bandidos sádicos e seus meio-irmãos. Tentando sobreviver até que finalmente saiba o porque de tudo isso.O por que de sua vida ser tão violenta.

Enzo Castellari é um gênio, ele usa toneladas de câmera lenta, mostrando assim uma grande homenagem a Sam Peckinpah, diretor americano, considerado o poeta da “violência”. Além de escrever o roteiro com a parceria de Nico Ducci, Luigi Montefiori, Mino Roli e diálogos não creditado de Joshua Sinclair.

Muitos temas se apresentam no filme:

# A briga entre os irmãos, o racismo, intolerância; Ódio;

# O nascimento da criança num estábulo, CRISTO???, , assim como a crucificação do herói;

# A presença da velha índia nos momentos culminantes do filme. Pura mitologia grega;

# O herói errante em busca de um desígnio que justifique sua vida também tem inspiração mitológica.

# A peste se constituiu num elemento bíblico e mitológico no filme, e a cidade parece até a mítica Sodoma e Gamorra.

E não é só Castellari quem se supera, atingindo uma qualidade incrível; a dupla de compositores Guido e Maurizio de Angelis fez uma trilha musical extraordinária, capaz de rivalizar com as melhores de Ennio Morricone. Presente no filme todo, as letras se "casam" maravilhosamente com a historia.Keoma realmente é um clássico, extraordinário.E a busca pela sua PAZ interior é a mola mestra desse filme, é exatamente o que quero nesse momento em que estou passando, na música, segundo cantor , Keoma quer encontrar a PAZ a todo custo, para ver se impede a sua violência. Ele nunca a teve e nunca vai ter, ele nunca conheceu a PAZ, devido ao ódio de seus meios-irmãos e de todos que passaram em seu caminho. Como Nero diz na cena final, "O homem que é livre nunca morre". Ele nunca encontrou a sua PAZ.

14 comentários:

dmmo disse...

Olá
Tem como vc me arranjar a letra da música Keoma, eu não acho em lugar nenhum.
obrigada

Pedro Pereira disse...

Gosto bastante deste filme. Excelente como marco final, numa época de ouro para o western-spaghetti.

Anônimo disse...

Galera eu vi esse filme baixei a atrilha sonora e é muito bom...

procurem nesse site www.4shared.com
digitem "keoma"

abraços...

fabiospw@hotmail.com

João Medeiros disse...

Para melhor ilustrar o texto do amigo, aí vai a letra da música "Keoma", da trilha sonora do filme. A música é composição de Guido e Maurizio de Angelis.

KEOMA

You are searching
just for what you are
And you go from town to town
to find yourself
Its hell now
Don't go on my boy

Keoma
Don't kill them

And when you find
that love has gone away
The world is crumbling
down around you
Walk around
Your tears have no right to cry
The pain you see
The pain you feel
The wrong you do
The hurt you feel

"Aren't you tired of killing?"

Now you have done
The dread you ought to and should have
You done even more than you could do boy
Stop your fighting and find
Find your place now
When there is no way to end your mistakes
Do you remember that I saved you once a time?
But I can't help this time if you don't stop
I don't want to take your life away
I don't want to this time

I can't stop to follow those
Who destroy the life of the one I love

I want peace...
I want love...

Abraços.

TITARA BARROS disse...

Cara vc salvou a decada...
Obrigado pela letra...
Abs!!!
E volte sempre...

João Medeiros disse...

hahaha...

Não exagere...trate como presente de natal atrasado.

Assisti a esse filme no cinema em 1976. Tinha 8 anos e nunca mais esqueci do filme e da trilha sonora. É um clássico. Top 10, fácil. "Era uma Vez no Oeste", com Charles Bronson, Henry Fonda e Claudia Cardinale também é um filmaço. Mas "Keoma" é mais visceral, mais intenso. E isso se deve em boa parte à excelente trilha sonora do filme. Hoje, tenho em DVD ambos, além de outros do gênero. Aliás, por falar em gênero, nem é que eu goste muito desse tipo de filme; gosto de cinema de maneira em geral, não importa o gênero. Basta ser um bom filme. E é o caso de KEOMA. Um filme muito acima da média, com excelente argumento, excelente fotografia e uma trilha sonora antológica.

Em tempo, sua crônica a respeito do filme está impecável. Vou recomendar a leitura a todos os que quiserem ou já tenham visto o filme.

Abraços e sempre que precisar de uma letra, diga. Se eu puder ajudar, será um prazer.

Anônimo disse...

A LETRA!.... cara... você é o um super-herói CÒSMICO!

Pobematico disse...

cara! otimo trabalho, mas a letra esta imcompleta. por exemplo na sena q o pai dele separa a briga dos irmaos toca um trecho que fala algo do pai "his father..."

Marco Nery disse...

vcs falam tanto dessa música que vou ter que colocar de novo no meu carro. isso é simplesmente uma pérola gigante. lembro de quando passava na "sessão das dez" acabava o filme e começava de novo e minha mãe e eu, estávamos lá sentados. depois de muitos anos, consegui esse DVD original e a música acelera o meu coração quando ouço. parabéns para quem assistiu a esse filme naquela época maravilhosa em que passava filme bom na Tv. um forte abraço!

Marco Nery disse...

parabéns a todos que curtem esse filme

Fernanda disse...

Vi o filme pela primeira vez com meu pai, que assistiu quando era criança. Desde então não canso de revê - lo! Um dos melhores filmes que já assisti!!

Anônimo disse...

Amigo, gracias por haberme dado a nosotros este regalo que es la descripción de la película, es que estábamos viendo, para la música y las letras. ¡ Felicidades por este blog!

Guilherme disse...

Top demais , o filme e a musica

Guilherme disse...

Top demais , o filme e a musica